Uma pesquisa realizada pela Rede Nossa São Paulo junto ao Ibope revelou que, para 57% por cento dos habitantes da maior cidade do Brasil, morar em São Paulo não vale a pena.

Muito embora sua efervescência apresente oportunidades em praticamente todas as áreas, é inegável que ela também possui características que a deixam longe do patamar ideal. Seja pela correria, trânsito ou violência, não é à toa que ela é considerada uma selva de pedra.

Quem tem ou planeja ter filhos, percebe como é difícil conseguir para eles uma criação mais tranquila, longe do excesso de equipamentos eletrônicos e mais voltada aos pequenos prazeres, como andar descalço ou aproveitar a sombra de uma árvore comendo frutas direto do pé.

Mas será que é possível viver no interior sem afetar negativamente o estilo de vida?

Apresentaremos a seguir algumas perspectivas para ajudar você a perceber o que vale mais a pena: ficar na metrópole ou buscar o interior. Confira!

O sonho de morar em São Paulo

Caetano Veloso resumiu tão bem o que é morar em São Paulo na canção “Sampa” que ela virou uma espécie de hino para todos os forasteiros que acabam se considerando “paulistas de coração”.

Porém, nem tudo são flores fora da poesia de Caetano. O sonho de viver em uma grande cidade muitas vezes esbarra em obstáculos que nos impedem de alcançar a verdadeira felicidade e uma melhor qualidade de vida.

Só que, quando você suspira e decide que talvez seja hora de buscar um outro rumo, o chefe promete um aumento, você se lembra da aula de ioga perfeita que encontrou e, é lógico, de todas as possibilidades que São Paulo oferece no campo artístico e cultural.

Por isso, chega um momento em que é necessário pesar na balança todos os aspectos positivos e negativos dessa vida.

Se você anda cansado de ouvir e falar apenas sobre trabalho, de se estressar com os engarrafamentos, de andar com os vidros do carro fechados (e anda cogitando a possibilidade de comprar um modelo blindado), talvez seja melhor repensar sua estadia.

Será que não vale mesmo a pena pesquisar se as cidades no interior oferecem uma vida melhor e se São Paulo pode ser aproveitada apenas em visitas periódicas?

Novas perspectivas para viver bem

É lógico que uma taxa de rejeição tão alta, como a que apresentamos logo no início do artigo, não passaria em branco. Há muitos anos que o interior paulista se prepara para receber (e muito bem!) os forasteiros.

A vida no interior tem um charme que conquista nos detalhes, como ouvir um “desculpa” quando o carrinho de compras bloqueia o corredor ou um “com licença” na hora de pegar uma mercadoria ao seu lado. Sem contar com o jeito amistoso de falar um “bom-dia” sincero para todos à sua volta.

O interior é também um campo aberto para oportunidades em diversas áreas, seja para empreender ou para conseguir um bom emprego, já que muitas empresas têm buscado se estabelecer longe dos altos custos e problemas da capital.

Porém, isso não significa que não seja possível viver no interior e trabalhar na metrópole. Com as inúmeras melhorias que as vias paulistas e paulistanas vêm sofrendo, com um pouco de cálculo e boa vontade, é possível ir e voltar para casa todos os dias — e, acredite, gastando o mesmo tempo perdido na hora do rush.

Morar no interior é uma mudança que vale a pena

Aliar tranquilidade à qualidade de vida é o sonho de quem planeja sair da loucura paulistana para morar no interior. O cansaço da rotina estressante, do trânsito pesado, da necessidade de estar sempre atento a tudo o tempo todo, dos veículos, às pessoas à sua volta.

O medo sempre espreitando por sobre o ombro em cada deslocamento realizado, que faz com que a opção seja sempre pelo carro — de vidros bem fechados — toda vez que sair de casa. Saídas que, se não fosse pela violência, poderiam ser feitas a pé ou de bicicleta.

Sair da megalópole rumo às cidades do interior de SP com melhor qualidade de vida é também a oportunidade para quem deseja empreender. Sorocaba, por exemplo, ocupa um dos postos mais altos no ranking nacional quando o assunto é infraestrutura e mercado.

O potencial econômico da região, a malha rodoviária disponível e a proximidade do Porto de Santos faz com que o município seja um ponto estratégico, principalmente para quem deseja trabalhar comimportação, exportação e logística. A proximidade de São Paulo permite que a busca por clientes nas grandes empresas seja bem mais fácil — principalmente em comparação a outros estados brasileiros.

É lógico que ainda existem problemas a serem resolvidos, entre legislação e mão de obra. Porém, com a previsão de crescimento oportunidades e de mercado se concretizando nos próximos anos, a tendência é que o panorama seja cada vez melhor para empresários e empresas que investirem agora na região.

As mesmas projeções se aplicam no mercado imobiliário residencial. Com cada vez mais pessoas saindo da capital para morar no interior, a valorização dos empreendimentos e do próprio metro quadrado fazem com que a aquisição de imóveis — sobretudo nas regiões mais nobres.

Estilo de vida cosmopolita no interior

Há quem aponte que no interior é impossível manter um estilo de vida mais cosmopolita, fazendo com que seja impossível deixar de morar em São Paulo. Entretanto, dependendo da cidade escolhida, é possível contar com uma crescente variedade de produtos e serviços para atender os mais exigentes.

Existem cada vez mais shoppings sendo construídos com salas de cinema de última geração e marcas de qualidade abrindo lojas em cidades interioranas. Isso tem acontecido exatamente porque esse êxodo rumo a cidades mais afastadas vêm ganhando força e conquistando adeptos das altas classes sociais — pessoas que, assim como você, buscam uma vida mais tranquila, mas não deixam de ser exigentes quanto ao que desejam e necessitam para serem felizes e realizadas.

Vantagens de se viver fora da metrópole

Locomoção

Já pensou em não precisar contar com o GPS ou aplicativos para descobrir a rota com menos engarrafamento ou índices de violência? Já imaginou como seria sua vida se você não passasse tanto tempo preso em um engarrafamento apenas para buscar os filhos na escola? Ou ainda: você já sonhou em encontrar uma vaga para estacionar o seu carro sem estresse?

Uma das principais vantagens de não morar em São Paulo está na menor concentração de pessoas e, consequentemente, o menor número de veículos nas ruas.

Dependendo da localização da nova morada, inclusive, é possível fazer aquelas pequenas caminhadas com que você tanto sonhava para realizar tarefas simples, como ir ao mercado ou à padaria, e abandonar o estresse constante de precisar do carro para tudo.

Emprego

Morar em uma cidade menos povoada indica uma menor competitividade profissional. Com isso, será possível focar em se desenvolver na carreira e buscar a excelência na área de atuação escolhida sem se preocupar apenas com índices de produtividade.

Há empresas que, inclusive, oferecem melhores salários e condições para quem esteja disposto a sair da metrópole rumo ao interior.

Qualidade de vida

Para morar em São Paulo é preciso ser forte, seja para aguentar a poluição nos pulmões ou para lidar com o estresse e a violência que parecem estar sempre à espreita.

A vida no interior garante uma melhor saúde, tanto física quanto emocional. Os filhos, por exemplo, podem ser criados com um pouco mais de liberdade, desfrutando daquilo que você mesmo deve ter aproveitado (ou sempre desejou experimentar) quando criança: deixar de lado a internet para descobrir o que nenhuma rede social pode oferecer: proximidade com a natureza.

Para você e seu companheiro ou sua companheira, essa também é a chance de começar a prática de hábitos mais saudáveis. Quem sabe agora, com um ambiente mais tranquilo e um espaço maior, você não consiga finalmente se dedicar ao sonhado espaço gourmet para receber os amigos?

Custo de vida

Morar em São Paulo é caro. Em um estudo divulgado pela BBC Brasil, a capital paulista e o Rio de Janeiro foram as cidades do mundo que mais encareceram em 2017.

Basta pesquisar as oportunidades imobiliárias para se ter certeza de que investir em uma propriedade no interior pode ser muito mais vantajoso. Há condomínios que oferecem, pela mesma faixa de valor, uma infraestrutura completa de segurança, lazer, espaço e cujas unidades são bem maiores se comparadas a um apartamento na capital.

Outro fator a se levar em consideração é o transporte. Enquanto se perde muita gasolina ao ficar preso no trânsito, as locomoções em cidades no interior costumam ser menores e muito mais rápidas, permitindo que se gaste menos tempo e dinheiro.

Cidades do interior de SP com melhor qualidade de vida

Agora que já apresentamos vantagens e benefícios de se morar no interior, hora de conhecer as cidades no interior de SP com melhor qualidade de vida. Assim, fica mais fácil selecionar quais os municípios que melhor atendem às suas necessidades e desejos.

Para elaborar a seleção levamos em consideração itens como qualidade de vida, proximidade com a capital (permitindo visitas sem grandes percalços), mercado imobiliário e área verde.

São elas (apresentadas em ordem alfabética):

Campinas

Distância de São Paulo: 91 km (via Rodovia dos Bandeirantes)

Número de habitantes: 1.182.429 (2018)

Cidade mais populosa entre as listadas aqui — e a terceira maior do estado —, Campinas tem uma boa infraestrutura e facilidades (quando comparada à vizinha SP). A cidade tem um bom índice de desenvolvimento humano (IDH) — 0.805 segundo dados do IBGE.

Para quem deseja investir nos estudos em nível superior, a cidade tem a Unicamp, que em 2017 passado conquistou o primeiro lugar entre as universidades da América Latina (posto antes ocupado pela USP). Além dela, outras instituições têm campi no local, como a PUC-Campinas, a FACAMP e a ESPM.

Jundiaí

Distância de São Paulo: 58,6 km (via Rodovia dos Bandeirantes)

Número de habitantes: 409.497 (2018)

Com o menor número de habitantes das opções apresentadas neste artigo, Jundiaí é uma opção interessante para quem deseja sossego. Embora seja um centro industrial de grande importância, ela ainda guarda alguns dos prazeres da vida do interior, principalmente quando o assunto é tranquilidade e bem-estar.

O município vem investindo pesado em saúde e educação e planeja usar quase metade do orçamento de 2019 em ambas as áreas. A concentração dos gastos tem por objetivo garantir o desenvolvimento da população, algo que deve render boas perspectivas para o futuro da cidade e seus habitantes.

São José dos Campos

Distância de São Paulo: 94,5 km (via Rodovia Ayrton Senna)

Número de habitantes: 713.493 (2018)

São José dos Campos é outra cidade com bastante atividade no ramo industrial, mas que não abre mão da qualidade de vida dos moradores, com um IDHM de 0.807. Sua localização é estratégica, a apenas uma hora de carro tanto da capital, quanto do litoral e da Serra da Mantiqueira. Além disso, o Rio de Janeiro fica a apenas três horas de distância, facilitando bastante os deslocamentos tanto para lazer quanto para negócios.

A cidade cresceu bastante e enfrenta, nos últimos tempos, o avanço dos índices de violência. Porém, ainda é considerada uma das mais seguras entre os principais municípios do estado de SP.

Sorocaba

Distância de São Paulo: 104,7 km (via BR-374)

Número de habitantes: 671.186 (2018)

Sorocaba concentra todos os benefícios dos municípios da lista acima: ótimos índices de IDHM (0.798), boa infraestrutura para viver e trabalhar (mais de duas mil indústrias situadas na área), proximidade da capital (cerca de uma hora de SP), estradas novas e em perfeitas condições.

Além disso, o município é um destaque quando o assunto é área verde, com mais de 20 opções de parquesque têm estrutura para atender diversos perfis de moradores. Existem pistas de corrida, parquinhos, gramados para fazer um belo piquenique, jardim botânico, entre outros locais que os habitantes podem usufruir.

Destaque para o Parque Kasato Maru, inaugurado como parte dos festejos do centenário da imigração japonesa no Brasil. Com os elementos típicos da cultura nipônica, o espaço tem um espelho d’água com uma ponte que remete aos tradicionais jardins japoneses. Em 2018, foram plantadas mudas de cerejeiras (cuja flor — sakura — é símbolo da nação), cujo florescer é um espetáculo que vale a pena ser contemplado.

Muitos dos parques estão localizados próximos aos bairros nobres (como o Campolim), permitindo deslocamento fácil para quem escolhe um dos muitos empreendimentos de alto padrão para viver.

Quem curte cozinhar pode ir ao Mercadão Campolim, com lojas especializadas em ingredientes especiais, lojas de artigos para a casa e presentes. A agenda cultural é também um incentivo extra da cidade, com diversas alternativas para curtir nos momentos de descanso, como filmes, peças de teatro e shows, gratuitos e pagos. Afinal, morar no interior não significa ter de abrir mão dos prazeres e da arte na sua vida.

Esperamos ter ajudado você a pensar se morar em São Paulo ainda é a melhor escolha. Aproveite o momento de reflexão e compartilhe este post nas suas redes sociais, marcando aqueles amigos com quem você tem discutido essa grande mudança de rumo.

Conheça o novo lançamento da Construtora Planeta: os condomínios horizontais Tirreno Residences!