Comprar um imóvel é muito mais do que escolher um empreendimento e cumprir o pagamento das mensalidades. Na verdade, por ser um alto investimento — tanto em termos financeiros quanto pessoais —, a escolha deve ser criteriosa e cuidadosa, a fim de evitar problemas com financiamento de imóveis ou mesmo se frustrar com o resultado final.

Para conseguir conquistar o “lar, doce lar” sem estresse, basta ter alguns cuidados antes e depois de fechar o negócio. Quer saber quais? Confira no post!

Financiamento como ferramenta para a realização de um sonho

O financiamento é uma das modalidades de parcelamento mais conhecidas entre os brasileiros, usado principalmente para a aquisição de bens de alto valor, como imóveis e automóveis. Portanto, é de se esperar que os futuros proprietários tenham muito cuidado ao embarcar na jornada, já que o compromisso assumido se estende por anos a fio até a conclusão.

O resultado compensa, pois se trata da realização do sonho da maioria: ter um imóvel próprio, uma segurança para si mesmo e para os seus.

Principais problemas com o financiamento de imóveis

A melhor estratégia para evitar problemas com financiamento de imóveis — e diminuir os riscos — é o planejamento. Deve-se pesquisar e conhecer a fundo todas as possibilidades para, ao final, ter a certeza de que fez a melhor opção.

Os principais obstáculos são:

A documentação

Financiar é um processo burocrático, mas nem de longe impossível. Para evitar dores de cabeça ou transtornos, fique atento à lista de documentos e procedimentos necessários solicitados pela instituição credora. Algumas certidões têm prazo de validade, e o cronograma para sua obtenção junto aos órgãos competentes é fundamental.

A construtora ou imobiliária pode ser uma parceira da jornada, já que tem conhecimento de sobra acerca dos procedimentos.

A condição do imóvel

Esse é um cuidado para quem busca um imóvel usado. Dependendo da condição do bem, as instituições não liberam o crédito para a operação, pois o risco não compensa o empréstimo.

O ideal, então, é buscar oportunidades em construções novas — ou na planta — que facilitam o processo para atestar a qualidade.

A falta de planejamento financeiro

Organizar as contas é um passo essencial, independentemente do padrão e renda pessoal ou familiar. Os seus rendimentos devem ser suficientes para arcar com todos os gastos essenciais (contas, alimentação, saúde, lazer), o aluguel da residência atual, os investimentos e a criação de uma reserva (garantindo a cobertura de imprevistos e emergências).

Como, no financiamento, o imóvel é alienado em nome da instituição até a quitação do montante devido, em caso de inadimplência ela pode tomar o bem.

Os custos

A compra de um imóvel não significa apenas pagar pelo bem em questão. É necessário arcar com custos extras, como taxas de corretagem, ITBI, escritura, registro, entre outros possíveis.

Informe-se junto à imobiliária sobre a previsão de valores que deve ser feita na entrega das chaves e comece a montar a sua poupança.

Além disso, é necessário ter um orçamento para montar e decorar, deixando o imóvel bonito e funcional. Para tanto, é possível poder contar com serviço profissional ou fazer por conta própria. Se você vai assumir o design, elabore uma checklist e estabeleça um orçamento, criando outro pé-de-meia para essa finalidade.

Cuidados essenciais para financiar sem estresse

Conforme vimos no tópico anterior, todos os principais problemas com financiamento de imóveis podem ser solucionados com um planejamento cuidadoso, pensando que a compra do seu apartamento é um investimento a longo prazo.

Seguem boas práticas para adotar.

Planejamento financeiro

Já abordamos como a falta de um plano pode ser um problema na hora de financiar. Agora é hora de indicar atitudes benéficas. A primeira é não comprometer mais do que 30% da renda (pessoal ou familiar) em parcelamentos — imóveis, carros, consórcios e afins.

Se você tem dívidas, é recomendável quitá-las antes de assumir um novo compromisso financeiro. Vale ressaltar que não é possível obter o ok para o financiamento quando existe restrição de crédito (SPC, Serasa) do solicitante.

Reserva para a entrada

Quanto maior o valor de entrada oferecido, menores as prestações e o prazo para quitar o financiamento. Os bancos costumam exigir, em média, 30% como mínimo. O ideal é consultar o mínimo exigido pela instituição e tentar poupar o máximo possível para oferecer. Menos parcelas significam menos juros e dívida paga mais rápido, liberando você para outros investimentos.

Imóveis na planta, por exemplo, costumam ter melhores condições de negociação e pagamento (já que as construtoras precisam capitalizar para financiar a obra). Uma sugestão é aproveitar para tentar dividir o montante da parcela nas prestações até a entrega do imóvel. Dessa forma, você pode aumentar ainda mais o valor oferecido à vista.

Leitura do contrato

O contrato é o documento onde ficarão definidos todos os deveres e direitos das partes envolvidas no processo. Portanto, dedique um tempo à leitura das cláusulas e tire todas as dúvidas antes de assiná-lo. Se necessário, consulte uma assessoria jurídica especializada da sua confiança.

Histórico da construtora

Pesquise e avalie a reputação e o histórico da construtora responsável, principalmente para empreendimentos na planta, mas a dica também vale para as unidades prontas para morar.

O índice de satisfação dos clientes e a quantidade de condomínios entregues dentro do prazo estipulado e sem grandes problemas (vazamentos, defeitos) são ótimos indicadores da qualidade dos serviços prestados.

No caso do mercado de alto padrão, é interessante prestar atenção aos diferenciais desse tipo de obra, da localização do empreendimento à qualidade do acabamento. Assim, você ajuda a identificar boas oportunidades que tenderão a valorizar nos próximos anos (para o caso de revenda ou locação posterior).

Esperamos ter ajudado você a reconhecer os principais problemas com financiamento de imóveis e como evitá-los na hora de adquirir o seu novo apartamento. A partir de um planejamento sólido, é possível comprar um novo lar sem apertos ou estresses. Aí, é só decorar, se mudar e ser muito feliz!

Quer saber como economizar com a entrada do apartamento? Não deixe de conferir o nosso infográfico para descobrir!