Dúvidas sobre comprar, alugar ou construir são recorrentes para quem busca a moradia ideal. Jovens casais, pessoas que não têm estabilidade no emprego e famílias que ainda não desejam criar raízes em determinada cidade costumam enxergar o imóvel alugado como uma boa opção.

Mas é preciso deixar claro que essa forma de morar não traz só vantagens e facilidades. Afinal, casas e apartamentos alugados têm particularidades que podem ser consideradas pontos negativos para algumas pessoas.

Para que você tenha certeza sobre essa escolha e possa tomar a melhor decisão, listamos os 7 problemas mais comuns de um imóvel alugado. Acompanhe e descubra se realmente é a opção ideal para sua família!

1. Desvalorização do dinheiro

Necessário para custear a moradia, o valor do aluguel não vale nada depois que o contrato termina. É como se as parcelas mensais fossem destinadas a um bem que não existe. Por isso, mesmo que pudesse ser considerado um investimento, o aluguel seria um modelo sem nenhum retorno ou benefício.

Ao optar por esse tipo de moradia, você verá seu dinheiro praticamente desaparecer durante os meses em que permanecer na residência. Ao longo desse período, perderá tempo para começar a investir em seu patrimônio.

Muitas pessoas costumam afirmar que a prestação de um financiamento de imóvel pode sair mais caro que o aluguel. Sim, pode! Porém, a diferença é que o capital investido será revertido em uma casa ou apartamento próprio — há melhor maneira de valorizar seu dinheiro?

2. Gasto extra com itens básicos

Outro problema do imóvel alugado está no gasto adicional com mobília, eletrodomésticos e acessórios decorativos. Você pode até questionar: não basta levar tudo o que tem quando precisar fazer a mudança de endereço? A resposta é: nem sempre.

Entenda que as construções diferem muito umas das outras. Um dia você pode habitar uma casa ampla e mais antiga, e no outro ano optar por um apartamento novo e compacto. Logo, a variação nas dimensões dos cômodos trará problemas para acomodar todas as suas coisas.

Muitas vezes é preciso se desfazer de alguns móveis para comprar outros que se adaptem aos novos ambientes. Além disso, mesmo que você consiga encontrar um imóvel mobiliado por completo, provavelmente pagará mais caro pelo conforto e praticidade de alugar um espaço pronto para morar.

3. Mudança de tempos em tempos

Sejamos sinceros: mudança não é um processo agradável, tanto que muitas pessoas fazem de tudo para evitar esse tipo de experiência. Então, imagina como fica a rotina de quem mora de aluguel e precisa trocar de endereço com maior frequência?

É claro que algumas famílias conseguem planejar por meses ou até anos para que tenham condições de se manter na mesma cidade. Porém, saiba que nem sempre o tempo de permanência depende do locatário.

Muitos contratos trazem cláusulas específicas que permitem ao proprietário do imóvel solicitar a saída dos inquilinos. E isso pode ocorrer por vários motivos (ex: quando o locador decide fazer uma reforma ou até mesmo vender o bem).

Portanto, podemos concluir que a probabilidade de organizar mudanças em períodos mais curtos é bem maior para aqueles que escolhem morar de aluguel.

4. Falta de manutenção do imóvel alugado

Não ter de se preocupar com a manutenção da estrutura e outros detalhes da residência é algo que atrai muitas pessoas para o aluguel. No entanto, o que é para ser uma vantagem pode se tornar um pesadelo na vida de quem habita o imóvel.

Ninguém está livre de encontrar um locador negligente, que não se dedica em manter os espaços de moradia em boas condições. Nesses casos, a contratação de serviços para reparos — seja um pequeno conserto ou uma grande reforma — tende a demorar muito ou, na pior das hipóteses, nem acontecer.

Quem sai prejudicado, claro, é o inquilino, que precisa lidar com problemas que seriam facilmente resolvidos com uma boa manutenção. Para evitar esse tipo de situação, é fundamental procurar um imóvel de alta qualidade e fazer a vistoria corretamente.

5. Pouca personalidade no local de moradia

Uma das principais queixas de quem vive em imóvel alugado está na dificuldade para deixar o espaço com cara de lar. Isso é normal, já que esse tipo de moradia tem limitações que nem sempre permitem compor os cômodos como o morador gostaria.

Dependendo das regras definidas pelo proprietário, pode ser difícil até mesmo mudar pequenas coisas, como pendurar um quadro, instalar uma cortina, fixar uma prateleira em determinada parede etc.

Trata-se de uma grande barreira para quem não abre mão da personalização de apartamento — geralmente feita com um trabalho de decoração específico para transformar o imóvel em um refúgio particular, bonito e agradável.

6. Burocracia para fazer qualquer ajuste

Assim como é difícil personalizar cômodos com simples detalhes, um imóvel alugado também pode trazer limitações quando o assunto é uma mudança mais significativa. Estamos falando de alterações como retirar uma parede, trocar a fiação, renovar o projeto de iluminação, entre outros processos.

Se o morador tiver o desejo ou necessidade de realizar algum ajuste, precisará da aprovação do proprietário — e conseguir isso pode não ser fácil. A permissão deve ser obtida antes de qualquer coisa, independentemente de o objetivo ser mudar algo apenas para melhorar a estética do lar ou para valorizar toda a unidade.

7. Dependência de regras específicas

Alugar uma moradia pode significar a adoção de um novo estilo de vida com o qual o futuro inquilino não está acostumado ou preparado para aderir. Isso porque algumas unidades se localizam dentro de edifícios ou condomínios que, além das regras de convivência, devem seguir determinações do próprio proprietário.

O problema é que muitas famílias podem se sentir presas a essas definições, que nem sempre estarão alinhadas à sua rotina e costumes. É possível, por exemplo, ter de respeitar normas em relação a ruídos, uso das áreas comuns, entre outras coisas que não seriam um problema dentro de um imóvel próprio e afastado da vizinhança.

Avaliando os prós e contras, podemos perceber que o imóvel alugado só pode ser considerado um investimento para o seu proprietário, que obterá renda com o valor mensal recebido do locatário. Portanto, se você busca liberdade, conforto e a garantia de um patrimônio para o futuro, saiba que comprar um imóvel continua sendo a melhor opção.

O conteúdo ajudou você a refletir sobre a escolha do tipo ideal de moradia? Tem ainda alguma dúvida sobre o assunto? Aproveite para compartilhar com a gente nos comentários!